Concórdia: Mulher compra celular pela internet e recebe molho de tomate no lugar

A engenheira de alimentos Camila Morgana Dalberti da Rosa, de Concórdia, até pensou que se tratasse de uma brincadeira, quando recebeu um sachê de molho de tomate em uma caixa no lugar de um aparelho celular, que ela havia comprado pela internet. Mas, o desespero foi grande quando ela percebeu que se tratava mesmo era de um golpe. O fato ocorreu nesta semana. Apesar do susto, ela não ficou no prejuízo.

A concordiense relatou que comprou um celular em uma loja do Mercado Livre. Ela estava investiu aproximadamente R$ 2 mil no aparelho. Acostumada a fazer compras pela internet, Camila fez todo o procedimento necessário e aguardou o produto chegar. “Compro muita coisa pela internet e sigo todos os protocolos. Eu procurei pela loja, vi as referências, a reputação do vendedor, os comentários de clientes, o histórico de vendas, mandei pergunta e recebi resposta, enfim, estava tudo certo e então efetuei a compra”, detalhou.

Camila comprou o aparelho no dia 14 deste mês e a caixa chegou em Concórdia no início desta semana. “Ao abrir a embalagem vi o molho de tomate. Na hora eu achei que fosse uma brincadeira do meu marido, pois o pacote estava mal embalado. Perguntei se ele havia trocado o produto e ele falou que não. Na hora bateu o desespero”, contou. “Eu não estava acreditando, mas aí percebi que era golpe”, disse a engenheira.

Camila conta ainda que sempre que compra pela internet utiliza o cartão de crédito e faz o pagamento parcelado. “A sorte que não paguei à vista e nem através de boleto. Entrei em contato com a cooperativa e cancelei o cartão, pois não sabia se eu ia conseguir ter um retorno. Depois fiz contato com o Mercado Livre, relatei meu problema e eles cancelaram a compra e devolveram o valor da parcela que havia sido paga”.

Ela também destacou a habilidade e a organização dos golpistas. “São profissionais, pois a loja tinha todas as informações necessárias, eles respondiam os clientes, tinha avaliação positiva de compradores, ou seja, atendia os pré-requisitos de uma loja confiável na internet”, descreveu Camila. “Minha sugestão, depois dessa experiência, é a de que as pessoas busquem todas as informações sobre as lojas antes de comprar. Também oriento a compra parcelada no cartão, e ainda, sempre conferir o produto na hora em que ele chega. Se for golpe e a pessoa esperar é possível que não tenha como reverter o prejuízo”, recomendou.

Sobre o molho de tomate Camila contou que ainda pretende utilizar. “Vou aproveitar sim, mas tem que ser em uma ocasião especial, já que este molho estava custando R$ 2 mil”, brincou.

Fonte: Rádio Aliança