Policiais militares de Herval farão parte da Força Nacional nas Olimpíadas do Rio

Alguns dos policiais que irão integrar a Força Nacional nas Olimpíadas do RioO 26º Batalhão da Polícia Militar (PM) com sede em Herval d´Oeste, estará representado quando da realização das Olimpíadas no Rio de Janeiro, no período de 5 a 21 de agosto deste ano. Cinco policiais farão parte do Departamento de Segurança da Força Nacional.

A seleção que contou com duas fases, a primeira realizada em Florianópolis e a segunda na cidade de Lages, iniciou com a realização de testes físicos, incluindo provas aquáticas e terrestres, sendo que os policiais aprovados foram submetidos a uma bateria de exames de saúde, e posteriormente iniciaram o Curso de Instrução de Nivelamento do Conhecimento para Grandes Eventos. Durante o curso, os policiais foram submetidos a situações de stress físico e mental, contendo um grande leque de disciplinas teóricas, que são de extrema importância para a execução do trabalho. Obtendo a avaliação dos instrutores, eles passara a compor o efetivo da Força Nacional e representarão a Segurança de Santa Catarina nas Olimpíadas.

Nós estaremos representados pelos sargentos Zago e Trindade e pelos soldados Anderson, Poster e Bernart que são excelentes profissionais na área operacional. São profissionais de destaque. Inclusive o sargento Zago que foi o primeiro colocado no estado de Santa Catarina, ele tem 50 anos, sendo um exemplo para a tropa e para a corporação pelo seu desempenho físico e intelectual”, disse o aspirante Francisco do 26 Batalhão da Polícia Militar em Herval d´Oeste.

Força Nacional

É um departamento de segurança do Governo Federal que é empregada em operações especiais realizadas em todo o Brasil e dentro os vários objetivos se destacam no combate ao tráfico de drogas e armas, ajudam a pacificar regiões e áreas com altos índices de violência além de serem empenhadas em grandes eventos. Para fazer parte da Força Nacional existe uma seleção rigorosa que exige do policial militar uma condição física elevada além da capacidade intelectual.

Por Julnei Bruno

Foto: Polícia Militar/Divulgação