Ex-prefeito de Itá e dois empresários são condenados a prisão e devolução de dinheiro na Operação Patrola

Um ex-prefeito de Itá e dois responsáveis por uma empresa de venda de máquinas pesadas foram condenados pela Justiça da Comarca de Tangará. Eles respondiam por crimes de fraude em licitação e corrupção, denúncia feita pelo Ministério Público, depois de uma grande operação desencadeada em várias cidades do Oeste e Meio-Oeste Catarinense.

Os dois empresários foram condenados ao cumprimento de dois anos e oito meses de reclusão e mais dois anos e oito meses de prisão cada e pagamento de multa no valor de 2% do total do contrato mantido com a Prefeitura de Itá.

Já o ex-prefeito de Itá foi condenado ao cumprimento três anos e um mês de detenção e mais três anos e um mês de prisão. Ele também terá que ressarcir os cofres públicos. Nos autos conta que ele teria recebido R$ 15 mil através do esquema que foi “esclarecido” por um dos empresários através de uma delação premiada.

Os casos foram registrados entre os anos de 2010 e 2011. A denúncia do Ministério Público diz que houve manipulação da licitação para contemplar a empresa que comercializada as máquinas, ou seja, direcionamento para aquisição de uma retroescavadeira.

Vários gestores da região foram investigados, já que o esquema envolvia prefeitos, ex-prefeitos, agentes públicos, empresários e seus empregados. Como resultado dessa operação, foram ajuizadas 44 ações criminais, 15 delas contra prefeitos que, na época, estavam no exercício do cargo.