Herval d’Oeste tem casos suspeitos de Coronavírus. Vice-prefeito fala em até 6 casos

O município de Herval d’Oeste tem alguns casos suspeitos de Coronavírus. A informação foi confirmada à Rádio Catarinense no final da manhã desta terça-feira (17) pela Secretária de Saúde, Marisa Lange. Ela não confirmou o número exato de casos e disse que as pessoas que apresentaram os sintomas compatíveis com o vírus não tiveram coleta de material, pois a orientação do Estado é fazer exames apenas para pacientes que tiveram quadros mais graves por falta de material para todos. “Eu tenho o paciente que apresenta alguns sintomas, a gente faz o afastamento e monitora e é isso que o município vai seguir” explicou ela. Os casos suspeitos são de pessoas  que tiveram febre e mais um sintoma junto. O vice-prefeito, Mauro Martini, também em entrevista a Rádio Catarinense, disse que no município existem 5 ou 6 pessoas suspeitas. Ele acredita que o vírus possa estar circulando.

Hoje a tarde, as 15h, foi marcada uma entrevista coletiva onde serão repassadas novas informações.

Em reunião realizada hoje pela manhã foi instituído um gabinete de crise em Herval d’Oeste com representantes da Secretaria de Saúde, da administração, UPA e SAMU com objetivo de unificar os procedimentos. Todos os dias, no início da manhã, os membros do gabinete estarão reunidos para avaliar as ações e definir as estratégias. Um decreto que será publicado ainda hoje vai suspender os atendimentos considerados eletivos (menos graves) como consultas e outros. Também foi definido quatro pontos de atendimento com funcionamento até 20h sem fechar ao meio dia: ESF Centro, ESF interior, ESF Santo Antônio e ESF Nossa Senhora de Fátima para pacientes que estejam com sintomas agudos. Na UPA será montado um sistema de classificação na entrada para reduzir volume de pessoas. Outra medida é reforçar as equipes para visitas domiciliar com foco em idosos que são quase 6 mil. Também será dado férias compulsivas para funcionários que tem férias vencidas, exceto pessoal da área da saúde.

Ouça o vice-prefeito

Por Marcelo Santos