Carlos Moisés alega insegurança e cogita recuar no decreto de isolamento

O governador Carlos Moisés (PSL) já cogita voltar atrás na medida que prevê o afrouxamento no decreto de isolamento em Santa Catarina. Em entrevista concedida na manhã deste sábado (28), onde atualizou o número de infectados em 184 casos, o chefe do Executivo já trabalha com a hipótese de voltar a restringir a circulação dos catarinenses. Depois de anunciar a “retomada econômica” para o próximo dia 1º de abril, onde relaxa alguns itens e libera, aos poucos, a população da quarentena, o governador já sinaliza uma possibilidade de desistência.

Para Carlos Moisés não há uma segurança no que diz respeito ao repasse de insumos e equipamentos por parte do governo federal tanto para os trabalhadores da saúde, quanto para eventuais emergências.

Apesar de não ter mencionado em seu discurso, a pressão que o Executivo vem sofrendo desde o anúncio da “retomada econômica”, também pode estar pesando na decisão do governador. O tema chegou a parar nos trending topics do Twitter, no Brasil, com a hashtag SC Não Quer Morrer.

“Se a capacidade de resposta do Estado não avançar nos próximos dias, se as coisas não chegarem, se não formos atendidos pelo mercado privado e pelo governo federal, teremos que rever uma série de ações que a gente pretende fazer. Vamos rever a forma que vamos fazer para que tenhamos segurança em tudo que viemos fazer”, argumentou Carlos Moisés.

Fonte: ND mais