Após sequestro em Campos Novos, polícia apreende cerca de 380 quilos de cocaína

A Polícia Civil de Barra Velha, no Litoral Norte, apreendeu cerca de 380 quilos de cocaína, dois fuzis e munições na manhã desta quinta-feira (26) no bairro Itajuba. A droga foi localizada após um homem ter sido sequestrado e mantido em cárcere privado em Campos Novos, no Oeste catarinense, quarta-feira. Dois homens foram presos.

De acordo com o delegado Procópio Silveira Neto, a droga estava em um apartamento. A investigação começou após a polícia ter recebido informações repassadas durante a prisão de um suspeito envolvido no sequestro.

Conforme o delegado, além de drogas e as armas, inicialmente a polícia de Barra Velha foi informada sobre a possibilidade de também ter uma pessoa em cárcere no imóvel. “Mas nós chegamos ao local e essa informação não era verdadeira. Existia uma pessoa que cuidava da droga, que foi presa em flagrante”, afirmou Neto. Foram apreendidos também dois fuzis calibre 7.62, uma escopeta calibre 12, munições e três carros, que seriam utilizados pelo proprietário da droga, conforme o delegado.

Um homem foi preso em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo de uso restrito. Ele foi encaminhado ao sistema penitenciário.

A operação contou com o apoio da Divisão de Investigação Criminal de Campos Novos, Delegacia de Polícia da Comarca de Piçarras e da Polícia Militar de Campos Novos, Penha e Navegantes.

Sequestro em Campos Novos

A droga foi localizada após um homem ter sido sequestrado e mantido em cárcere privado em Campos Novos. De acordo com o delegado regional, Adriano de Almeida, a vítima estava em um restaurante localizado às margens de uma rodovia. Um homem, que pertence a uma organização criminosa, estava com a vítima e foi preso em flagrante pelo crime de sequestro, segundo Almeida. “[A pessoa] nos relatou que havia sido sequestrada em razão de um dívida decorrente de uma transação relacionada ao tráfico de drogas e que ele só seria liberado depois do pagamento dessa dívida”, afirmou. O delegado não deu mais detalhes sobre o sequestro e afirmou que a operação continua em andamento na manhã desta quinta-feira. O caso é investigado.

Fonte: G1/SC