Câmara de Herval d’Oeste aprova instalação de eliminador de ar na tubulação de água

A Câmara de Vereadores de Herval d´Oeste aprovou por unanimidade na noite desta segunda-feira (19), o projeto de Lei Legislativo que dispõe sobre a instalação de equipamento eliminador de ar na tubulação de abastecimento de água no município. O projeto aguarda agora à sanção do prefeito municipal para que a Lei entre em vigor.

Segundo o autor do proposta, vereador Valdecir Antônio Rodrigues (Boca), é recorrente as tubulações das redes de abastecimentos de água, quando desligadas por motivos operacionais ou decorrente de crise hídrica, necessitar de total ou parcial esgotamento da tubulação. Desse modo, quando a rede é novamente operacionalizada é necessário a presença de pressão proveniente de ar comprimido para que a água consiga adentrar ao sistema de distribuição, fazendo com que os hidrômetros registrem o consumo, penalizando os consumidores.

“Os redutores de ar são dispositivos que se destinam a eliminar o ar existente em tubulações do sistema de abastecimento de água. Devem ser colocados antes dos hidrômetros e tem como objetivo impedir que o ar seja calculado na conta mensal de água do consumidor, além de preservar a vida útil dos hidrômetros, que giram em alta velocidade por conta do ar expelido na tubulação, pois ao pagar a conta de água, o consumidor paga também pelo ar que passa pelo cano”, apontou, ao destacar que estudos mostram que este ar é pago como água e pode significar cerca de 40% a mais da contagem dos metros cúbico e, consequentemente, maior valor na conta.

Boca explica que para ter direito ao equipamento, o consumidor deve se dirigir ao Simae e solicitar a instalação. “As custas da compra do equipamento e a instalação correm por conta do consumidor, mas na hora de comprar o equipamento ele deve ficar atento se está dentro das normas exigidas pelo Inmetro. Quanto a instalação, é de escolha do consumidor que ela seja feita pelo Simae ou por um profissional de sua escolha”.

Exemplo

O vereador relata que na Escola Federal de Engenharia de Itajubá (MG), onde um aparelho semelhante é fabricado, garante que sua instalação significaria uma economia de até 35% nas contas de água, ressaltando que esse percentual pode variar de uma região para outra, de acordo com a frequência de interrupções no fornecimento de água, inclusive, algo muito comum no estado do Paraná, Distrito Federal, Bahia, entre outros estados. Ademais, muitas reclamações de consumidores em todo Brasil são registradas com a mesma problemática, havendo casos que a intervenção do Poder Judiciário é necessária para garantir ao consumidor seus direitos.

Fonte: Joce Pereira/Assessoria de Comunicação