(49) 3551-2424

Vacina contra a COVID-19 pode custar entre R$ 200 e R$ 400,00, calcula proprietário de laboratório

Há uma grande expectativa para a chegada da vacina contra a COVID-19 nos laboratórios particulares. Até o momento não existe nada de concreto, apenas muitas especulações. A reportagem da Rádio Catarinense manteve contato com o Otávio de Marco Dala Rosa, diretor do Laboratório Dala Rosa, com sede no município de Catanduvas. Ele disse que existe uma expectativa que a vacina será disponibilizada a partir de abril.” O que nós sabemos é que a Associação Brasileira das Clínicas de Vacinas está em contato com o Laboratório Indiano BioNTech para a compra de um grande lote para aplicação a partir de abril, mas este lote ainda não está fabricado, por tanto não temos notícias, da data exata” explicou ele. O custo, pelo que está sendo cogitado, segundo o responsável pelo laboratório, deverá ficar entre R$ 200 e R$ 400,00, mas não os valores também são especulações no momento.

Ele alerta que nenhuma clínica pode fazer lista de espera. Caso isso esteja acontecendo deve ser denunciado ao PROCON. “Se alguma clínica ou laboratório fizer lista de espera que isso seja feita denúncia e levado ao PROCON, pois não existe lote de vacina comprado para este fim e sugerimos a população de Joaçaba e região que faça denúncia caso isso aconteça” explicou Otávio de Marco Dala Rosa.

Projeto permite compra de vacina pelo setor privado

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), afirmou que um projeto de lei está sendo elaborado para autorizar União e também estados e municípios a assumirem os riscos da compra das vacinas da Pfizer e da Janssen – cujas cláusulas são atualmente tidas pelo Governo Federal como entrave para a compra das imunizações. Além disso, Pacheco afirmou que a proposta deve conter permissão para que a iniciativa privada participe das aquisições. O laboratório americano exige, por exemplo, imunidade em relação a potenciais efeitos adversos da vacina e só aceita ser processado em tribunal nos Estados Unidos.

Por Marcelo Santos