Mais um foco do mosquito da Dengue é encontrado numa armadilha em Herval d´Oeste

Imagem ilustrativa

Em uma armadilha instalada no Bairro São Vicente foi encontrado pelos servidores da Vigilância Ambiental de Herval d´Oeste, o quarto fogo do mosquito da Dengue.

Segundo a agente Ana Paula Costenaro esse é o quarto foco do mosquito aedes aegypti encontrado no município, sendo que a partir de agora já está sendo realizado o trabalho de inspeção num raio de 300 metros em todas as casas e também no comércio desta região.

“Foram encontradas seis larvas positivas do mosquito que nos deixam preocupados, porque a situação no Estado vem se agravando”, disse Ana Paula.

Atualmente existem mais de 22 mil focos dentro de Santa Catarina que apresentou um aumento de 84% em relação ao número de focos num comparativo com o ano passado.

“Acredita-se que até o final do ano a marca de 100% deverá ser ultrapassada, a continuar nesse ritmo, sem contar que não chegamos no verão ainda”, analisou a agente da Vigilância Ambiental de Herval.

Ana Paula Costenaro fez questão de alertar a população da região dos Bairros São Vicente e Nossa Senhora Aparecida, para que verifiquem em suas casas se não existe nada que possa acumular água, principalmente nos pratos de vasos de flores, caixas de água, calhas, nos recipientes para animais, para que a água não fique acumulada.

“Iremos nos estender nas próximas semanas num trabalho forte de visita aos moradores dos bairros São Vicente e Nossa Senhora Aparecida, que deverão receber as nossas equipes de saúde que irão repassar informações sobre o que pode ser feito para prevenir os focos do mosquito da Dengue”.

Concluindo a agente da Vigilância Ambiental esclareceu que mesmo não tendo sido registrado nenhum caso, deve-se prestar atenção porque o foco do mosquito está sendo encontrado no município de Herval d´Oeste.

“Diante desta situação, nós podemos aumentar o número de focos e com a chegada do verão as pessoas acabam viajando para cidades que já tem a circulação do vírus, como é o caso do litoral catarinense. Sendo assim, essa pessoa pode contrair o vírus e vindo para a região, tendo a presença do mosquito, ele pode picar essa pessoa que já está doente e transmitir para outras pessoas. Essa é uma situação que nós não queremos chegar, porque nós temos muitos municípios que já tiveram mortes pela Dengue, inclusive por chikungunya e zika virus”.

Por Julnei Bruno