Secretário da Saúde de Luzerna confirma primeiro caso de Gripe “A” no município

Secretário da Saúde de Luzerna, Luiz Fernando Peruchini

Na tarde desta quarta-feira (10), o secretário da Saúde de Luzerna, Luiz Fernando Peruchini confirmou o primeiro caso de Gripe “A” (H1N1) no município.

Segundo ele, trata-se de um homem de 63 anos que já vinha recebendo o atendimento no Hospital Universitário Santa Terezinha (HUST) de Joaçaba há algum tempo, mas que teve os exames confirmados na última sexta-feira (5).

O paciente e toda a sua família estão recebendo o tratamento necessário porque a gripe tem transmissão pelo ar, e a gente está fazendo com que todos sejam tratados adequadamente”, argumentou o secretário.

Peruchini disse o caso apesar de ser de gripe H1N1 é tranquilo, “porque o homem está em recuperação plena e isso fará com que nós não venhamos a correr riscos com a saúde dele”.

A confirmação do caso aconteceu, porque o idoso procurou a unidade de saúde com os sintomas característicos, sendo que ele acabou sendo encaminhado ao HUST onde aconteceu a internação e a coleta do material que confirmou através dos exames de laboratório, que tratava-se de um caso de Gripe “A”.

Estamos com um tratamento específico para ele e sua família através do medicamento Tamiflu. A parte mais pesada do tratamento foi feita dentro do hospital mesmo, e agora estamos alertas para que as demais pessoas ao seu redor, não desenvolvam a doença”, disse Peruchini.

Concluindo o secretário da Saúde de Luzerna salientou que este homem não foi imunizado, ou seja, não se vacinou mesmo sendo do grupo prioritário dos idosos.

Infelizmente este paciente não foi vacinado mesmo fazendo parte do grupo dos idosos devido a sua idade de 63 anos. Ele não procurou a unidade de saúde para receber a vacina nem mesmo quando da campanha, e agora está diagnosticado com a Gripe H1N1”.

No município de Luzerna cerca de 19% dos idosos não se vacinaram quando da campanha e atualmente não existe mais vacina para este público-alvo.

Isso de certa forma nos preocupa, porque esses idosos que não se vacinaram estão na zona de risco e com o vírus andando pelo município. Então se um paciente tem, é possível que esse vírus esteja circulando em nossa região”, finalizou Luiz Fernando Peruchini.

Por Julnei Bruno