Justiça obriga RUMO recuperar ponte histórica

A centenária ponte rodoferroviária localizada no lago do Rio Uruguai entre os municípios de Marcelino Ramos/RS e Alto Bela Vista/SC passou por uma grande reforma do assoalho de madeira. A obra que durou cerca de 8 meses foi resultado de uma ação civil pública promovida pelo Ministério Público Federal de Erechim. Os trabalhos foram concluídos neste mês de março e as boas condições de trafegabilidade para veículo foram devolvidas.

O assoalho de madeira estava deteriorado em razão da falta de manutenção. A RUMO, empresa concessionária, foi obrigada pelo Poder Judiciário recuperar a ponte sob pena de ter que pagar multa diária. Agora existe na justiça uma nova ação que vai definir de quem será a responsabilidade pela manutenção e controle do tráfego, principalmente o pesado que pode danificar o assoalho.

A Assessoria de Comunicação da RUMO entrou em contato com a nossa redação e enviou a seguinte nota:
“A Rumo esclarece que respeita a decisão da Justiça e, por isso, realizou a reforma do trecho rodoviário da Ponte Marcelino Ramos. A Companhia, porém, entende que sua responsabilidade diz respeito somente à preservação da ferrovia, conforme prevê o contrato de concessão. O próprio Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), proprietário da ponte ferroviária, também se posicionou dessa  forma. A Rumo segue defendendo que que a manutenção do trecho rodoviário da ponte deve ficar a cargo dos municípios.”

Por Marcelo Santos
ggggggggggggggggggggggggggggggggggg