Robô criado por equipe da Unoesc vence modalidade em campeonato de Robótica realizado em São Paulo

A equipe de robótica “WestBots” da Unoesc Joaçaba foi campeã na modalidade “Trekking” no campeonato “Winter Challenge” que aconteceu entre os dias 5 e 8 de julho na cidade de São Caetano do Sul (SP) e reuniu universidades de várias cidades do país. O robô que representou a universidade fez o percurso estipulado em 33,2 segundos, quebrando o Record da competição que era de 41 segundos.

A equipe da a universidade reúne integrantes dos cursos de Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica e Publicidade e Propaganda e foi representada na competição pelos professores Renato Gregolon Scortegagna, Kleyton Hoffmann, Marconi Januário além dos acadêmicos Alex Zuffo, Ana Carina Perin, Elisabeth Fonseca, André Martins, Felipe Domingos, Rafael Vier, Ronaldo Drey e o diplomado Alexandre Pereira. Além da modalidade “Trekking”, o grupo ainda participou das disputas das modalidades de “Sumô Autônomo 500 gramas e 3kg” e “Seguidor de Linha”.

O robô vencedor da modalidade “Trekking” foi desenvolvido por meio de um projeto de pesquisa e está sendo usado também no trabalho de conclusão de curso da acadêmica Ana Carina Perin e levou cerca de um ano para ficar pronto. A competição foi realizada em um campo de futebol sendo necessário que o robô, de forma autônoma, realizasse o percurso designado, passando por pontos específicos e obstáculos, no menor tempo possível.

— Percebemos que os robôs de outras universidades eram muito mais caros e tinham muito mais sensores, no entanto, isso não foi decisivo para que ganhassem. A parte lógica, que aliás foi a mais difícil de ser desenvolvida, fez a diferença no nosso caso — afirmou a acadêmica Ana Carina Perin.

Além da alegria pela vitória os participantes destacaram as experiências vivenciadas ao longo dos três dias de competições.

— Agrega muito conhecimento, pois conseguimos aplicar na prática muitos conceitos do curso. Vivenciamos também a pressão semelhante ao mercado de trabalho onde é preciso trabalhar em equipe, ter agilidade para resolver problemas, tomar decisões avaliando riscos em busca do melhor resultado. Outro ponto positivo foi a integração com alunos de realidades acadêmicas diferentes da nossa — comentou o diplomado Alexandre Pereira.

Esse é o terceiro ano consecutivo que a equipe participa da competição.

— Temos acadêmicos de várias fases e cada um contribui na equipe com o que mais se identifica A competição incentiva a fazer o melhor enquanto que os conceitos e aplicações são aprendidos de forma interativa e estimulante —  afirmou o professor Kleyton Hoffmann.

A performance do robô vencedor pode ser vista acessando o canal da equipe no YouTube. Outras curiosidades e informações sobre as competições e projetos realizados pela “WestBots” podem ser acompanhados também no Facebook.

— Estamos em busca de apoiadores. Se com os recursos que temos estamos conseguindo bons resultados, com a ajuda de patrocinadores podemos elevar ainda mais nosso nível e fomentar ainda mais projetos e aprendizado — destacou o professor Renato Gregolon Scortegagna.

1 (1) 2 3 4 5 6