Comunidade de Santa Helena se reúne com vereadores e tenta evitar fechamento de Escola

        A comunidade do Distrito de Santa Helena, interior de Joaçaba, ainda tenta reunir forças para que não ocorra o fechamento da Escola Municipal Anita Lopes Vieira.  Com este objetivo, pais, professores, membros da APP da escola e comunidade em geral e também todos os vereadores do município, se reuniram na noite de ontem, nas dependências do educandário para tratar deste assunto que pegou de certa forma, a comunidade de surpresa com a informação dada na semana que passou pela própria secretária de educação do município de Joaçaba, Marilena Dettoni, anunciando o fechamento da escola.Segundo dados que foram repassados neste encontro, a escola conta com 52 alunos, abrigando não somente alunos de Santa Helena, mas também do Bairro Armindo Haro e Jardim das Hortências, contando ainda com 7 profissionais para a execução das atividades em turno integral.

        Mara Lúcia Rático, presidente da APP da escola fez questão de destacar a importância da escola para a comunidade do distrito de Santa Helena, onde segundo ela, no encontro que ocorreu semana passada com o prefeito e a secretária de educação, algumas sugestões foram repassadas para a administração, na tentativa de manter a escola aberta, onde dentre as propostas que foram sugeridas, até mesmo o pagamento de água, luz e telefone, foi colocado que a própria APP arcaria com estes custos, mas que a escola não fechasse suas portas.   Mara fez questão de salientar que as últimas reformas que foram feitas na escola, incluindo, pinturas em toda escola, troca de janelas, fechamento de locais que entravam vento, parte de cobertura, tudo isso foi feito com recursos da própria APP, onde na última festa junina, a associação teve um lucro de R$ 17mil, onde todo este valor foi repassado para as benfeitorias da escola.

        Vários pais e membros da comunidade fizeram questão de fazer o uso da palavra, salientando a importância da escola para o distrito, onde muitos deles, inclusive, estudaram naquela escola, que possui 70 anos de história, e que não admitem o seu fechamento pelas justificativas que foram apresentadas pela administração.

        O advogado Marco Aurélio Castanharo, fez questão de fazer o uso da palavra dizendo que recebeu uma ligação da presidente da APP, o convidando para defender os interesses da associação para o não fechamento da escola, onde ele destacou que num primeiro momento não iria aceitar, mas que pensando, posteriormente resolveu aceitar, de forma voluntária, em prol das crianças que estão sendo afetadas com esta decisão. Segundo Dr. Marco, que foi procurador do município da gestão passada,  a administração estaria omitindo o verdadeiro problema, e que tudo isso não passa de ações de desespero da administração em querer tapar o rombo financeiro que passa a secretaria de educação, onde segundo o advogado, tudo é decorrente de um projeto de lei que foi aprovado no ano passado, majorando os salários dos professores e com isso onerando os gastos da educação de Joaçaba, e que as justificativas que foram apresentadas pela administração, colocando em dúvida a própria qualidade do ensino dado na escola, não passam de um desvio do foco do verdadeiro problema, e conforme o advogado não será fechando escolas que o problema será resolvido.

        Todos os vereadores fizeram também o uso da palavra, se mostrando sensibilizados com a situação, salientando que esta é uma decisão exclusiva da administração e que não caberia qualquer medida por parte do poder legislativo, mas se colocando a disposição da comunidade de Santa Helena em qualquer ação objetivando o não fechamento da escola.

    Quando a reunião estava se encaminhando para o seu final, já passando das 22 horas, o advogado Marco Aurélio fez novamente o uso da palavra, dizendo que não poderiam sair dali daquela forma, e que alguma ação de forma imediata deveria ser feita, chegando a orientar o líder de governo em exercício, vereador André Dalcenter, que mantivesse contato com o prefeito e que colocasse a ele as vontades da comunidade, e que o presidente da Câmara de Vereadores Francisco Moreira Lopes, convocasse na manhã desta quarta-feira uma seção extraordinária, para que a matéria fosse discutida e que um media legal fosse encaminhada pelos vereadores a administração, para que a administração no mínimo ouvisse a comunidade de Santa Helena, onde segundo os moradores isso não ocorreu, sendo tão somente uma decisão autoritária por parte do prefeito. Neste momento os ânimos ficaram mais acalorados e como medida emergencial, ficou decidido que na manhã desta quarta-feira, estarão se reunindo o presidente da Câmara de Vereadores de Joaçaba, Francisco Moreira Lopes juntamente com os demais vereadores, membros da comunidade e da APP, para que nas primeiras horas da manhã desta quarta, possam contatar o prefeito e a própria secretária de educação de Joaçaba, na tentativa de após ouvir os anseios da comunidade, e que essa decisão possa ser revertida.

        O advogado Marco Aurélio não descartou a possibilidade de uma medida judicial para que a escola não seja fechada.

Por Cristian Souto