Ex-presidente da Liesjho esclarece que não deixou dívidas para a entidade

_DSC9436Passados dois meses desde que deixou a presidência da Liga Independente das Escolas de Samba de Joaçaba e Herval d’ Oeste (LIESJHO) Sérgio Giacometti, procurou o Diário do Vale para comprovar que sua gestão não deixou dívidas na Liga, como foi declarado pelo atual presidente Dihego Joe Muller.

Em encontro ocorrido com os vereadores no mês de julho, Dihego falou que a Liga possui uma dívida de mais de R$ 80 mil e ainda comentou em diminuir algumas despesas fixas, como por exemplo, o aluguel da sala no Edifício Pedrini. Giacometti contesta o número apresentado pelo atual presidente da Liga e comprova que as dívidas não são da sua gestão e não existem. Munido de extratos bancários, o ex-presidente aponta que Dihego – que no último mandato era seu vice-presidente, tinha conhecimento dos valores deixados em caixa e inclusive usou para pagar despesas já no início de sua gestão. “Quero esclarecer que meu mandato encerrou em 31 de maio e deixei em caixa o valor de R$ 26.673,47, todas as pendências da minha gestão foram pagas. A atual diretoria, que em sua maioria fazia parte na última gestão conhece esses números, tanto que já em novo mandato fizeram pagamentos de diversas despesas”, afirma. “Não existem R$ 80 mil e, conforme andam falando por ai, quero saber quem são credores, a Liga não possui dívidas, mas as escolas sim, essas ainda devem para a entidade por repasses adiantados”, esclarece.

Giacometti aponta que a Vale Samba deve a Liga R$ 35 mil, referente a repasse de valores feito no mandato de Hermes Bersaghi e a Aliança, R$ 11.900, também de valor adiantado pela entidade, na gestão de Dihego Muller. “Se existe alguma dívida, é a pedido deles mesmos, então que suas escolas façam essa devolução de valores”. Já a Unidos do Herval possui R$ 31 mil em haver e a Acadêmicos do Grande Vale, R$ 4.700, que ficarão de crédito para o próximo carnaval”.

“É preciso que a população saiba o real motivo da “dívida” citada, estes documentos podem e devem ser solicitados pelos vereadores e até a Comarca de Joaçaba caso necessário. Essa tentativa de me atacar, acaba manchando o evento, em nada me prejudica. Agora um Carnaval desta magnitude, não teve nenhuma irregularidade, teve é dedicação”.

Outro ponto destacado por Giacometti é que a Liga levou um calote de um bloco. “Levamos um “cano” de R$ 17 mil deste bloco e entramos com uma ação judicial para reaver este valor. Foram comercializados aproximadamente 800 ingressos e a liga não recebeu”.

Ainda conforme Giacometti, a Liga tem um gasto mensal de R$ 5 mil com funcionária, aluguel, telefone, luz, impostos, etc. “São gastos que devem ser religiosamente sanados eu fiz minha parte e inclusive deixei valores em caixa”. “Acredito que a dívida mencionada pelo atual presidente foi a soma dos valores gastos mensalmente, incluindo os valores devidos pelas escolas e o bloco. É importante salientar que o projeto da Lei Rounet termina sempre no mês de junho e que até dezembro, a Liga fica sem valores a receber”, explica Sérgio Giacometti, salientando que começa entrar dinheiro quando inicia a comercialização de ingressos, camarotes e nas captações de recursos.

O ex-presidente enfatiza ainda deixou pronto um projeto de captação de recursos via Lei Rouanet, no valor de cerca de R$ 1,8 milhão que inclusive está em análise para aprovação, por meio do Ministério da Cultura.

“Me causa muita estranheza apenas é que toda essa polêmica, já que a maioria dos membros da diretoria conhecem a realidade financeira da Liga. Já a ameaça de uma auditoria não me afeta. Essas declarações, acabam desacreditando e prejudicando a imagem do evento”.

“Preciso enfatizar que nesta edição promovemos inovações na estrutura com recuo das arquibancadas para fomentar o comércio da Avenida XV de Novembro e a volta do Carnaval Infantil. O que fizemos foi transparente e fazendo valer o regulamento”, disse.

Sérgio Giacometti que é membro da Unidos do Herval desviará toda sua atenção a sua agremiação e já iniciaram projetos e captações de recursos. Entre eles o Carnamotos que acontece nos dias 07, 08 e 09 de outubro deste ano e ocorre na Avenida Beira Rio, em Herval d´Oeste. “Ele iniciou com o objetivo de executar um dos preceitos da entidade que é a promoção de eventos diversificados durante todo o ano nas cidades sedes das escolas de samba filiadas a Liesjho. Promovemos dois eventos e sem muita ajuda das escolas, então o evento será realizado pela Unidos”, afirma. “Fora isso nossos esforços voltam para que a agremiação recupere o título”, conclui.

Fonte: Diário do Vale
_DSC9434_edit